NOTÍCIAS

Notícias

14/09/16 17:05

EducarMais: Quais parâmetros utilizar para avaliar uma criança?

A avaliação na Educação Infantil é repleta de subjetividade. Por esse motivo, o professor deve estar atento a diversos aspectos para fazê-la da maneira mais correta possível.

O ato de avaliar ocorre em diferentes situações da vida humana, não se restringindo apenas ao contexto escolar. Todavia, neste último, a análise e a verificação dos objetivos a serem alcançados é fundamental. É a avaliação que ajuda o professor a repensar sua prática e intervir de modo intencional e assertivo nas situações pedagógicas que visam promover a aprendizagem.

Conforme estabelecido nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), as instituições escolares para esse segmento devem criar uma metodologia de acompanhamento, avaliando as crianças sem intuito de promoção, seleção ou classificação. Esse acompanhamento deve garantir uma análise do desenvolvimento do aluno, contemplando os aspectos físicos, cognitivos, afetivos e sociais apresentados durante o período escolar. 

Em geral, há diversos instrumentos de avaliação na Educação Infantil. Os mais comuns são as fichas de avaliação, os relatórios, os pareceres descritivos e os portfólios. Em algumas escolas, pode-se encontrar até provas. Mas, de onde partir para se avaliar uma criança? Existe alguma maneira adequada para isso?

A resposta para essa pergunta é: sim. A observação, o registro e a reflexão-ação são consideradas formas de avaliação. É necessário que os educadores sejam sensíveis, conhecedores do que precisam observar e atentos às ações e manifestações da criança no grupo e à realização das situações propostas. 

O acompanhamento da trajetória de aprendizagem da criança não é tarefa simples. Lidar com a individualidade do aluno faz com que o trabalho do professor seja bem mais complexo. Segundo a pesquisadora Jussara Hoffmann, “acompanhar a criança em seu desenvolvimento exige um olhar teórico-reflexivo sobre o seu contexto sociocultural e manifestações decorrentes do caráter evolutivo do seu pensamento. Significa respeitá-la em sua individualidade e em suas sucessivas e gradativas conquistas de conhecimento em todas as áreas”.

Avaliar uma criança na Educação Infantil é uma tarefa carregada de subjetividade. Percebe-se que uma das dificuldades do docente está na inexistência de notas ou padrões avaliativos normalmente encontrados em outro nível de escolaridade. A avaliação, neste segmento, depende exclusivamente do olhar investigativo do professor. É ele que precisa estabelecer o que observar, fazer registros consistentes, direcionados e focados nas habilidades que precisam ser desenvolvidas em cada criança e, por fim, refletir sobre essa ação.

Dessa forma, as referências sobre o que e o como avaliar devem se embasar nas expectativas de aprendizagem anteriormente planejadas. E tanto o professor quanto os demais educadores envolvidos nesse processo devem se livrar de padrões pré-estabelecidos aos quais as crianças tenham que corresponder igualmente. Cada criança deve ser respeitada em sua singularidade, afinal elas reagem de maneira diferente frente às mesmas situações de aprendizagem propostas.


Fonte: Revista EducarMais.