NOTÍCIAS

Notícias

07/09/16 17:48

EducarMais: Física no Fusca – aprendizado, tecnologia e diversão

O aplicativo Física no Fusca é a prova de que estudar Física pode ser bem mais interessante quando se tem a tecnologia a seu favor.

A Física é o campo das Ciências que estuda os fenômenos naturais, que são as coisas que acontecem naturalmente, como o salto de um paraquedista e sua interação com a gravidade ou um relâmpago gerado por uma fortíssima descarga elétrica em dia de tempestade. Conhecer esses fenômenos e saber lidar com eles, além de tornar nossa existência mais consciente, nos proporciona o desenvolvimento de uma série de tecnologias.

Em meio a este mundo de informações, o desafio é atrair os estudantes e facilitar a compreensão e a aplicação dos conteúdos ligados à disciplina. Com isso, buscar maneiras diferentes para despertar a curiosidade e gerar interesse dos alunos pela Física passa a ser tarefa obrigatória do bom professor. Foi a partir dessa busca pela “aprendizagem significativa” que nasceu o projeto “Física no Fusca”, colocado em prática no Colégio Integral de Bragança Paulista, em São Paulo.

O objetivo principal do projeto é mostrar que a Física está presente nas coisas mais simples utilizadas diariamente, como em um inofensivo fusca azul. O Trovão Azul, como é chamado, é utilizado como um poderoso recurso didático, por meio do qual os estudantes podem interagir com a Física. 

Nas aulas ministradas no estacionamento do colégio, cada área da Física é associada a uma parte do fusca, que foi preenchida com adesivos de figuras e fórmulas alusivas a cada conteúdo. Na frente, por exemplo, trabalhamos a Óptica Geométrica, aproveitando os faróis do carro para estudar os princípios da propagação da luz. As laterais foram associadas aos princípios da Mecânica: quantidade de movimento, inércia, ação e reação, velocidade e aceleração. Já na traseira, estudamos as leis da Termodinâmica e da Eletrodinâmica, observando o motor, o alternador e a bateria do carro.

Não é difícil ouvir dos alunos que “é muito mais fácil aprender Física vendo como tudo funciona na prática do que apenas tendo contato teórico com as fórmulas e números apresentados pela disciplina” ou ainda que “as aulas são bem mais interessantes quando há interação com o Trovão Azul”.

Em uma pesquisa realizada em 2015, com cerca de 200 alunos de escolas públicas e privadas, entre 13 e 20 anos, foi possível identificar que 50% dos entrevistados consideraram a Física a matéria que eles mais têm dificuldades, enquanto cerca de 60% dos participantes disseram ter as suas melhores notas em História. Além disso, a pesquisa revelou que, para 53% dos estudantes, as experiências práticas são o que mais os ajudam a aprender, e, para cerca de 70% dos alunos que responderam à pesquisa, o bom professor é aquele que mostra uma aplicação prática dos conteúdos ensinados em sala de aula.    

O impacto positivo que as aulas práticas geraram nos discentes foi tamanho que o projeto ganhou novos ares e até uma versão virtual. O Física no Fusca transformou-se em um aplicativo que traz uma série de games com temas e conteúdos relacionados à disciplina. A partir disso, os estudantes podem levar o Trovão Azul para casa em seus smartphones e tablets e continuar estudando. De uma forma lúdica, é possível incentivar os alunos quanto aos estudos e ainda reforçar os conteúdos aplicados no ambiente escolar.

No game, o personagem principal é o Trovão Azul, e o tema central é a gravidade. No decorrer das fases, o jogador passa com o fusca pelo planeta Terra, pela Lua e por Júpiter, lugares com gravidade bastante diferente. A interação acontece a partir dos corpos que caem sobre o jogador devido ao campo gravitacional do local. Na Terra, por exemplo, o objetivo do jogador é coletar determinada quantidade de “maçãs cadentes” para avançar de fase. Já na Lua e em Júpiter, o objetivo é desviar de meteoros que tentam amassar o Trovão. Na passagem entre os mundos, o jogador responde a questões sobre conteúdos de Mecânica, em que cada acerto equivale a uma vida extra na próxima fase do jogo.

A proposta do projeto virtual é desenvolver um jogo para cada grande área da Física, contribuindo, assim, para a aprendizagem prática, mesmo que fora da escola. Dessa maneira, os jogos juntos formariam uma espécie de “livro didático interativo”. A segunda versão do aplicativo está prevista para o final de 2016, e o tema será Termologia.

Por dentro do aplicativo

O aplicativo Física no Fusca está disponível para sistemas operacionais Android e IOS, nas lojas Google Play e AppStore. Além disso, o projeto possui uma página no Facebook chamada Física no Fusca, que traz conteúdos ligados ao universo da Física. 


Fonte: Revista EducarMais.