NOTÍCIAS

Notícias

10/06/16 16:12

EducarMais: Educação corporativa – capacitação e desenvolvimento de pessoas como vantagem competitiva

O compartilhamento de conhecimento e o consequente desenvolvimento do colaborador são alguns dos fatores que tornam uma empresa diferente das demais.

O panorama atual das organizações tem levado as empresas a readaptarem suas estratégias e formas de trabalho. Vivemos na era em que o capital intelectual, em constante evolução, se firma como um elemento essencial na estrutura de qualquer nível de atividade nas empresas. Para a formação e o desenvolvimento de pessoas nas organizações, a senha é “meritocracia”, um sistema de gestão no qual se considera o mérito a aptidão desenvolvida como o fator preponderante para o crescimento. E de que forma nos tornamos mais aptos a desenvolver qualquer atividade?

Nesse cenário, os olhares se voltam para a educação também dentro das empresas. A Educação Corporativa configura-se como uma estratégia organizacional de capacitação das pessoas, de gestão e de articulação das competências individuais, constituindo uma teia intelectual que se coloca nas organizações como uma vantagem competitiva. Essa estratégia parte da implementação de dois modelos: gestão do conhecimento e gestão de pessoas por competências.

A Educação Corporativa deve ser parte consistente da cultura da empresa, tendo as lideranças como educadoras e as pessoas em exercício constante de autodesenvolvimento. Foucault, filósofo do século XX, se faz ainda atual quando estabelece uma ligação entre poder e saber nas relações sociais. Saber é poder, um poder de conquista, não de domínio, um poder de elaboração, de melhores práticas. Além de um saber sobre as coisas e os fatos, um saber sobre si, o autoconhecimento como um braço crucial do processo de crescimento.

Para pensarmos em gestão de pessoas por competências, precisamos entender que conhecimento não é simploriamente coleção, é conexão. Se somente sei sozinho, por acúmulo, terei uma informação, mas não conseguirei que isto seja de fato conhecimento. Sei com os outros na medida em que me conecto e compartilho com meus pares. Preciso da potencialidade do outro – que é diferente da minha – para ir além. É justamente compartilhando conhecimentos que percorremos a distância entre o desenvolvimento real – o que eu já sei – e o desenvolvimento potencial – o que saberei. A interação de saberes entre pares não deve ser aplicada somente a um grupo específico, mas estendida a todos os sujeitos atuantes nas empresas. 

E como podemos desenvolver esse processo efetivo de formação das pessoas como vantagem competitiva nas organizações? Cabe à gestão de Educação Corporativa elaborar um plano sistemático de avaliação e desenvolvimento com treinamentos específicos direcionados para as potencialidades e limitações do colaborador. Como estratégia de aprendizagem cooperativa, podem ser feitos grupos de estudo, leituras mensais sobre uma temática pré-definida e momentos para a troca de livros. Outra possibilidade é um estudo aprofundado de alguma obra mais densa voltado para alguma demanda específica da organização. Todas essas são estratégias para o desenvolvimento de pessoas com foco em suas singularidades. 

O maior ativo de qualquer organização é gente focada em ser melhor a cada dia, com a empresa, aprimorando-se em um processo de autoconhecimento. Esta é a única maneira de nos tornarmos mais aptos a desenvolver nossas atividades. O caminho a ser percorrido entre os desafios diários colocados nas empresas deve ser o do aprendizado contínuo, em busca por melhores práticas. Pessoas em constante desenvolvimento são a única vantagem competitiva duradoura de uma organização, e isso pode garantir, de maneira sustentável, o seu sucesso.


Fonte: Revista EducarMais.